O jato quente do K. Pacett (por Alva Benigno)

I

No telefone, uma frase definitiva que Chiquinho Zanzibar disse pra Alva Benigno: “Estádio é o caralho! Só faço lobby pra essa porra sair se reformar a sauna!”

“O nome da sauna tem que ser Dr. Agaynaldo Happybath.“

“Na entrada, um painel em branco, com a legenda: uma homenagem às conquistas deste grande prócer das Laranjeiras, à frente do comando do futebol tricolor.”

II

Dr. Rice Powder, o eterno blogayro puxa-sacos, telefona para Chiquinho Zanzibar, uma vez que não está entendendo o piti histérico de Happybath. O nobre adevogado explica que Happybath está morrendo de saudades da cagada de tomou na cara, e do cheiro do cu de Chiquinho. ARGH!

Happybath usa como isca para uma nova noite de sexo escatológico as redes sociais e o xingamento covarde à honra do Lutador Careca. Sua risada lhe deixa arrepiado e de cu duro de tesão. A próstata parece uma pedra, a ponto dele gritar “Onde estão as tricolindas? Legenda na foto errada?”

III

Lorelaine é uma veterana GP, geralmente contratada por Agaynaldo para lhe oferecer prazer prostático, no entanto sem conseguir grandes performances nos últimos encontros.  A sua fiel personal massagista não mais o satisfaz, ainda que tenha uma propaganda instigante:

“Dói em mim saber que a solidão insiste e existe em teu coração. Para os que não são fracos de alma e chupam tudo o que deve ser chupado, sem hipocrisia, disque 22 9754-14YZ e aproveite todos os encantadores momentos. Venha ser feliz neste sábado à noite”.

Lorelaine, a veterana Loira Belzebu, mesmo com toda sua experiência e seios fartos, moles no padrão panqueca passed away, não sabe mais o que fazer para dar prazer a Agaynaldo.Sua língua estava cheia de feridas e aftas, mas não fazia o leite de AH jorrar. Em transe, ele pedia o corpo de Chiquinho Zanzibar, a sauna da alegria, a risada do Careca. Os inimigos lhe davam o mais absoluto tesão.

A mensagem subliminar de sua baixaria contra o Careca Lutador não havia sido captada. Estava com os lábios feridos, porque escreveu mordendo com dentes de tesão. Babava no teclado. Na verdade, queria que ele e Chiquinho Zanzibar rebaixassem as suas calças, fazendo dele um homem total, que quer muito aprender a engravidar, numa espécie de Wakigawa relâmpago da putaria.

AH sentia ciúmes dos jogadores que estiveram, por alguns poucos jogos, sob o seu comando, dividindo hotéis, concentração e, claro, vestiários com o Toureiro da Espada Gostosa. O coqueirinho não era mais suficiente, esmagando a minhoca mole de Happybath, como se fosse um misto quente de salsicha coquetel.

IV

Vingativo e serelepe como ele só, Chiquinho Zanzibar fez uma dieta especial, desta vez, para saciar Happybath. Ao invés da sopa de merda, mandaria um kibe, fazendo com que seu próprio ânus fosse uma generosa máquina de churros. Chico consultou um nutricionista só para isso, uma pessoa em quem Happybath também havia passado a perna, como escroque que é.

O destemido machão pediu um favor ao seu novo aliado, o Sr. K.Pacett, homem de pragmatismo admirável, rico, coroa, experiente, e que odiava o inescrupuloso AH, tendo esculachado com sua reputação publicamente, sem jamais sofrer qualquer notificação jurídica.

K. Pacett deveria chamar Happybath, sempre ávido por poder e fama, o verdadeiro Pavão Misterioso, para um acerto sobre o novo estádio tricolor. Haveria uma grande negociação de percentuais por cada tijolo, cada folha de grama, cada pedacinho de papel higiênico. Uma nota preta.

Happybath foi informado de que o encontro seria num dos possantes jatos da frota de K. Pacett. Love’s in the air! Uísque, escargot e dinheiro de trambique às custas da torcida. Não havia coisa mais excitante para Agaynaldo. A situação foi montada por Chiquinho, cobrando favores eróticos de K.Pacett a posteriori. E Notório, um fidel escudeiro de Happybath, também deveria estar presente, para não despertar ciúmes na reunião do cambalacho.

 

 

 

 

 

O Psicólogo de Niterói seria peça chave. Todos estariam presentes, até mesmo a Loira Belzebu de Farmácia, Magali Patalógika. Jovens cracudos com HIV foram pegos a dedo das redondezas da favela do Jacarezinho, sendo devidamente banhados para uma roleta russa erótica, onde era proibido o uso de preservativos de quaisquer espécie. Sexo é risco e loucuraaaaaa.

Dia e hora marcados no hangar do aeroporto de Jacarepaguá. Todos a bordo do K. Pacett Boeing.

V

Comes e bebes liberados, heroínas a todo vapor, seringas espalhadas. Luxo, luxúria e esplendor.

Ao sobrevoar a Baía de Guanabara, finalmente sai da cabine do piloto o personagem chave. Vestido de Galeão Cumbica, o eterno personagem da Escolinha do Professor Raimundo, Chiquinho Zanzibar afronta a todos, completamente drogados, meio nus, com sua risada caótica e delirante. Em seguida, a decadente Madame Sascha sai da mesma cabine, vestida de co-pilota, deixando vivas todas as suas tatuagens e saliências de celulite.

“Eu, sempre eu, sou quem direciono o avião Tricolor, seu bando de filhasdasputa de merda. Seus otários emergentes deslumbrados de merda! Fico de pau duro vendo a decadência de vocês.”

Neste momento, Sascha pede para Chiquinho Zanzibar colocá-la em decúbito dorsal e lhe fazer gozar. Sem pestanejar, Chiquinho entra em ação, e os dois gozam rápido, sob os olhares da plateia de fracassados, atônita. Sascha pede: “Chico, aproveita o tesão do Happybath, que tá de pau bem duro, e caga na boca dele!”

O serviço de bordo chega com a voz cavernosa do Lutador Careca: “Atenção senhores passageiros, chegou a hora do lanche especial: Kibe à la Chiquinho Zanzibar.”

O fedorento bracinho de merda vai saindo do meio das nádegas de Chiquinho, e cai direto na boca de Happybath. Seu coração cheio de heroína e uísque explode o tesão sem precedentes. Ao fundo, a risada perturbadora do Careca completa o gozo final, enquanto o inevitável fedor toma o corredor do avião. Alguns gritam, outros vomitam, outros fazem transa a três, um velho virgem finge dormir e não ver nada. Uma velha safada masturba seu cachorro de estimação. Meia hora de putaria no ar.

Já no hangar, de volta da viagem da luxúria, em todos os sentidos, os convivas procuram se recompor. Happybath não vê sinal algum do casal que mais uma vez lhe sodomizou : mal se lembra do que fez, deixando entender que é muito menos malandro do que finge ser. Sente uma espécie de iogurte quente nas nádegas, quando tenta colocar a cueca.

Num misto de vergonha, tesão e frustração, vê como seu corpo acabou depois da provocação nas redes sociais. A senha era essa, sempre que quisesse chamar o cocô de Chiquinho Zanzibar pra sua boca nervosa. Escrever e falar merda era a sua disposição para gozar um gozo não autorizado, mas possível na penumbra do sexo que não ousa sair do lado escuro da lua.

VI

O enfurecido Chiquinho numa mensagem aos berros no Whatsapp: “Quem foi o feladaputa que pegou minha mala no avião com 500 mil dólares?. Se não devolverem, vou mandar arrepiar. Tão pensando o que, seus filaputa do caralho? Aqui é em nome de Deus, contra o comunismo e a corrupção. Fora, PT, vão tomar no rabo!”

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: rudd

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres