Atlético-PR 3 x 1 Fluminense: atuações (por Mauro Jácome)

Como tem acontecido nos últimos jogos fora de casa, o Fluminense começou recuado, preso no seu campo de defesa, sem saída de bola. Com essa postura defensiva do Tricolor, o rubro-negro criou suas chances de gol: primeiro foi Nikão, depois uma bola no travessão. Ribamar ganhava todas na diagonal da direita para meio. Dos 30’ em diante, o time da casa diminuiu o ritmo e o Fluminense conseguiu reter a bola, no entanto, pouco ameaçava o gol de Weverton. Como não chegava nas jogadas pelo chão, o jeito foi chegar pelo alto: Gustavo Scarpa bateu escanteio na cabeça de Henrique Dourado e o artilheiro escorou para as redes. Placar de 1 a 0 e fim de primeiro tempo.

Ao contrário da primeira etapa, o Fluminense voltou do intervalo mais adiantado. No entanto, faltava agressividade porque Wellington Silva não partia para cima da defesa adversária e limitava-se a toques curtos. Numa falta na entrada da área, o Atlético conseguiu o empate. Em seguida o time paranaense tentou a virada, teve chances, mas o Fluminense ia se virando. Gustavo Scarpa teve uma chance, mandou no ângulo, mas Weverton fez bela defesa. A marcação frouxa do Fluminense permitia o Atlético se infiltrar pelos espaços entre a última linha de marcação. Foi assim o gol da virada: Ribamar recebeu, livrou-se de Nogueira e tocou na saída de Júlio César. No fim, depois de a defesa ficar olhando a bola circular pela área, Jonathan bateu cruzado e fechou o placar em 3 a 1.

JÚLIO CÉSAR

No gol de empate do Atlético, a cobrança de falta foi no meio do gol, mas nem se mexeu. Certo que resvalou no Nogueira, mas o desvio aproximou a bola do goleiro. Faltou reflexo. No gol da virada, saiu na vertical e facilitou a vida de Ribamar. Esse goleirinho nunca diminui o ângulo do atacante, vai sempre na vertical. Parece goleiro de handebol.

MATEUS NORTON

Ficou somente atrás e, mesmo assim, deixou um corredor entre o lateral e o Nogueira. Não passou do meio-campo.

NOGUEIRA

Quando o Atlético atacou em velocidade, ficou descoberto e foi envolvido. Tomou o giro de Ribamar no gol da virada. Não deu conta do recado.

FRAZAN

Levou desvantagem quando Ribamar partiu pelas costas de Marlon. Também não ajudou para impedir a derrota.

MARLON

Deixou espaços e Ribamar e Jonathan se aproveitaram. Na frente, alguns cruzamentos ruins.

MARLON FREITAS

Muitos passes para os lados que quebraram a velocidade na transição da defesa para o ataque.

RICHARD

Parece ter mais qualidade na saída de jogo, mas carece de mais observação.

RENATO

Se é ruim na posição certa, imagina na improvisada!

WENDEL

Tem reclamado mais do que jogado. Carregou muito a bola quando poderia ter passado. Não é nem sombra daquele menino que chegou ao profissional. A repentina fama subiu à cabeça?

GUSTAVO SCARPA

Não está bem com a bola rolando, mas tem conseguido chances na cobrança de faltas e de escanteios.

WELLINGTON SILVA

Mais uma péssima partida. Está receoso de partir em velocidade e tentar o drible. Merece um banco.

PEU

Mal pegou na bola.

HENRIQUE DOURADO

Lutou muito. Escorou muito bem o escanteio cobrado por Gustavo Scarpa. Está muito isolado.

MARCOS JUNIOR

Uma boa infiltração, com conclusão ruim. Nada mais.

ABEL

O time está sem intensidade, sem força na marcação, sem jogadas ofensivas. Troca uma infinidade de passes inúteis atrás e não sabe como chegar ao gol adversário. Pode sair com a classificação em Quito, mas vai sofrer…

ATLÉTICO-PR

Usou a velocidade para matar o jogo.

ARBITRAGEM

Normal.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @MauroJacome

Imagem: jam

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres