Àgua no chope vascaíno em 1987 (da Redação)

Em 11 de abril de 1987, há exatos 30 anos, a barra estava pesada para o Fluminense, ainda que com um grande time.

Era um momento conturbado em que o treinador Antônio Lopes pedia demissão, depois de ser muito mal falado pelos jogadores tricolores.

O Tricolor ia para um clássico diante do poderoso Vasco, que sonhava em conquistar a Taça Guanabara de forma antecipada na 16ª rodada. Mas o Fluzão, comandado pelo preparador físico Everaldo Antônio, se superou e impôs impiedosos 3 a 0 ao rival no Maracanã com “apenas” 60 mil pessoas. Assis, em uma de suas últimas atuações magistrais num clássico, fez o primeiro gol e comandou a equipe.

Nos dois anos seguintes, nosso time bateria o Vasco em vários clássicos, sendo o mais importante deles pelas quartas de final da Copa União de 1988.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: jb

2 Comments

  1. Pelo comportamento do Antônio Lopes, vejo que foi mais ou menos nessa época que os treinadores começaram a ser supervalorizados, uma das causas para a queda de nível técnico do futebol brasileiro. Queria saber quem foi o imbecil que deixou João Santos ir para o Bragantino. Se ele e outros jogadores continuassem no Fluminense, teríamos comemorado vários títulos no início da década de 90. Até hoje não me conformo com isso.

  2. O primeiro gol deste jogo, marcado por Assis, foi antológico. Ele recebeu na esquerda, deu um chapéu no Dunga (que na foto do dia seguinte do JB saiu com a língua para fora da boca, tal qual um enforcado) e chutou de canhota. Não foi um chute forte, quase uma espirrada de taco,mas a bola passou pela frente do Acácio, tocou na trave e entrou de mansinho. Uma coisa linda.

Comentário