Abel merece respeito! (por Paulo Rocha)

Não concordei com a opinião de Abel Braga após o empate de 1 a 1 com o Bahia. O treinador disse ter ficado satisfeito com a postura da equipe, que a estratégia em Salvador era deixar a bola com o adversário e que somente o fato de não termos aproveitado os contragolpes o decepcionou. Discordo, acho que não jogamos nada. Mas daí a dizer que o técnico do Fluminense não está fazendo um bom trabalho, ah meus amigos, vai uma distância infinita. Somente os boçais podem afirmar uma coisa dessas.

Esses boçais, com certeza, não se lembram da terra devastada que Abelão encontrou em sua volta ao clube. Nem recordam dos importantes desfalques que tivemos na Fonte Nova – Wendel e Richarlison são vitais para a equipe. Aliás, as lesões têm sido um rival a mais neste nosso momento de reconstrução.

Os corneteiros só querem falar mal. Ainda vivem num mundo de ilusão acreditando que um novo mecenas aparecerá para contratar jogadores que ganham para lá de R$ 500 mil. Seria apenas ingenuidade ou ignorância mesmo?

Outra coisa: Abel tem mercado para cacete. Duvido que o Internacional não o esteja cortejando; outros clubes também. Mas ele, tricolor de coração, comprou o barulho do Fluminense. Está lá dando moral aos garotos, aos desacreditados, defendendo a instituição e conseguindo resultados bastante satisfatórios diante do material de trabalho que possui.

Não quero acreditar que essas críticas ao Abel têm a ver com fato de ele ter reclamado da pouca presença da torcida nos nossos jogos. Porra, ele quer o bem do Fluminense! Não é para nenhum babaca se doer não, porra! Vão vestir a carapuça na puta que os pariu!

Nesta quarta-feira, teremos mais um difícil desafio. Um clássico com o Botafogo, no qual só conseguiremos nos sair bem caso entremos unidos, abraçados, time e torcida. Não teremos Dourado, suspenso, mas vamos ter Wendel e Richarlison de volta. Todos ao Maracanã.

xxxxxxxxxxxxx

Com a iminente saída de Léo Pelé para o futebol italiano, perdemos um jogador cujo forte é a marcação. Por baixo e por cima, uma vez que ele é alto e ajudava nas bolas cruzadas sobre nossa área. Tanto Mascarenhas quanto o recém-chegado Marlon têm características diferentes, são mais ofensivos. Vamos ver como ficará a nossa lateral esquerda.

xxxxxxxxxx

Nas redações de jornais pelas quais passei, já fui repórter setorista e editor de Vasco e Flamengo. Conheço bem os dois clubes. E eu sabia que, um dia, ia dar merda ficar marcando esse clássico para São Januário. A tragédia poderia ter sido pior. E quero dar meus parabéns àqueles que ajudaram a conter o pânico. São heróis de guerra.

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

Imagem: paro

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 caracteres