A Arte da Guerra (por Rods)

rods1“As oportunidades multiplicam-se à medida que são agarradas.”

– Sun Tzu

Primeiro venciam os mais fortes, depois os mais bem equipados e então os melhores estrategistas. Desde que os povos passaram a se confrontar, o homem buscou novas formas para prevalecer. Hoje, o livro “A Arte da Guerra” do chinês Sun Tzu é entoado como um mantra para quem quer vencer na vida profissional. Estratégias criadas para liderar exércitos e para batalhas campais, hoje são aplicadas para liderar funcionários no campo dos negócios. Aposto que, há 2500 anos, ninguém imaginaria isso.

Pois hoje é dia de trazer a arte da guerra de volta ao campo de batalha. Mais precisamente ao campo do Maracanã. Se no Brasileirão nossa missão é a de não cair morto, na Copa do Brasil o momento é de defender e honrar nosso território.

Ao nosso comandante resta provar que é capaz de liderar um Fluminense como o que eliminou o Grêmio e que derrotou o São Paulo com autoridade. Com a volta de dois dos nossos laterais de ofício, o time que deve ir pra jogo é: Diego Cavalieri; Wellington Silva, Gum, Marlon e Breno Lopes; Jean, Cícero; Marcos Junior, Vinícius (Gerson) e Gustavo Scarpa; Fred.

Para quem torcia pela permanência do garoto Ayrton na lateral esquerda e ainda sonhava com o deslocamento do Jean para a lateral direita, má notícia. Mas, em compensação, há uma possibilidade real do Vinícius tomar a vaga de titular do Gérson. Devido à frequente moleza do jogador da Roma, uma notícia a se comemorar.

Do outro lado, o Palmeiras. Nosso adversário não é bobo e sabe que não vem enfrentar o mesmo Fluminense daquele fatídico 4 a 1. Apesar da sofrível apresentação de domingo, eles sabem que existe a vontade tricolor em salvar o ano ou melhor, que existe a vontade de sair da trincheira cavada por nossos próprios jogadores. A força do time paulista vem reduzida pelo desfalque de cinco jogadores (Robinho, Cleiton Xavier, Arouca, Fellype Gabriel e Kelvin), porém com a presença confirmada de Lucas Barrios e Gabriel Jesus. Deste, nosso Marcos Júnior tem más lembranças.

Eduardo Baptista prometeu um Flu equilibrado. No meu entender, só não pode ser equilibrado demais. Ao passar do tempo, se persistir um placar em branco, precisaremos nos lançar à frente. Apesar do nosso histórico de decidir fora, não podemos nos dar o luxo de confiar na classificação após um zero a zero em casa.

Para a guerra de hoje, a torcida se empolgou. Afinal, se tudo der certo, são apenas quatro jogos para o bi da Copa do Brasil e para mais uma chance na Libertadores. Promessa de vacas gordas em 2016. Só espero que, diferente das últimas vezes, o time saiba se comportar perante um bom número de torcedores. Imagino que tenhamos mais de 30 mil tricolores no Maracanã e, por isso, também espero que aqueles desacostumados às arquibancadas, saibam se comportar perante uma possível situação adversa.

A obra de Sun Tzu é apresentada em treze capítulos e eu espero que o nosso técnico conheça cada um deles, pois serão bem úteis não apenas nos 90 minutos de hoje. O preparo, a paciência, a antecipação e saber lidar com que pode vir depois fazem parte das melhores estratégias. Já aos nossos jogadores, será a chance de honrar a alcunha de guerreiros, com muita raça e luta.

Nos vemos no Maraca! Hoje é guerra!

ST!

Panorama Tricolor

@PanoramaTri @Rods_C

Imagem: Rods / Erica Matos

LANÇAMENTO O ESPIRITO DA COPA RJ

Comentário