1984, Capítulo XIX – Os Heróis (por Mauro Jácome)

1984 – Capítulo 19 - Os heróisEstava devendo o encerramento da série sobre o Campeonato Brasileiro de 1984. Portanto, neste último capítulo, um breve resumo de cada jogador da campanha vitoriosa. Diferentemente do elenco campeão em 1970, vários ex-jogadores de 1984 ainda presentes no noticiário esportivo.

 

PAULO VÍTOR

Jogou 358 jogos partidas pelo Fluminense entre 1981 e 1988. Além do Brasileiro de 1984, conquistou o tri de 83/84/85. Disputou a Copa do Mundo de 1986. Muitos tricolores o têm como ídolo. Depois, passou por América, Coritiba, Sport, São José, Grêmio Maringá, Remo, Paysandu, Volta Redonda. Hoje, é comentarista do Sportv.

 

ALDO

Tricampeão Carioca em 83/84/85 e Brasileiro em 1984. Depois, jogou no Vitória da Bahia, no Sport e, em 1996, aos 30 anos, encerrou a carreira no Paysandu, onde houvera começado. Atualmente, trabalha no Governo do Estado do Amapá. Também, em 2012, foi treinador do time Sub-19 do Santos do Amapá.

 

VICA

Jogou no Fluminense de 1984 a 1988 e voltou em 93. Depois, jogou na Ferroviária (Araraquara), Coritiba, Comercial (Ribeirão Preto), Atlético Paranaense, Paraná, São José, Atlético Paranaense, Itumbiara e Rio Branco-PR. Ao encerrar a carreira de jogador, virou técnico. Já treinou mais de 30 times. Atualmente, é técnico do Treze, de Campina Grande. Uma curiosidade: já treinou a Anapolina sete vezes. Era o técnico da Rubra quando foi adversária do Fluminense na terceira divisão. Lembro-me que após o jogo em Anápolis, quando ganhou do Fluminense por 3 x 2, fomos conversar com ele fora do estádio e chorava copiosamente, em razão da lastimável situação em que o seu tricolor passava naquela época.

 

DUÍLIO

Jogou no Fluminense entre 1983 e 1985. Depois, transferiu para Portugal, onde atuou no Sporting, Estrela Amadora, Ovarense e Portimonense. Como técnico, começou interinamente no Fluminense, em 1998. Rodou por outros times e, atualmente, está no América do Rio de Janeiro.

 

BRANCO

Veio do Internacional para o Fluminense em 1982 e jogou até 1986. Nesse ano, saiu para o exterior: Brescia (Itália), Porto (Portugal) e Genoa (Itália). Em 1993, foi contratado pelo Grêmio. Voltou ao Fluminense em 1994. No mesmo ano, foi para o Corinthians. No título carioca de 1995, conquistado pelo Fluminense com o memorável gol de barriga por Renato Gaúcho, Branco era jogador do Flamengo. Depois, teve rápidas passagens pelo Internacional, Middlesbrough (Inglaterra), MetroStars (Estados Unidos) e Mogi Mirim. Em 1998, voltou ao Flu para tentar salvá-lo da iminente queda para a terceira divisão. Antes de se tornar técnico, foi dirigente do Fluminense. Como técnico, treinou: Figueirense, Sobradinho-DF e Guarani. Jogou na Seleção de 1985 a 1995 e disputou três Copas do Mundo. Foi decisivo no título de 94.

 

JANDIR

Juntamente com Branco, veio do Internacional para o Fluminense em 1982. Ficou no tricolor até 1989. Voltou em 1994. No intervalo, jogou no Grêmio e no Internacional. Atualmente, mora em Porto Alegre e é olheiro de jovens valores.

 

DELEI

Subiu dos juniores do Fluminense em 1979 e jogou até 1987. Depois, foi para o Palmeiras, Botafogo, Belenenses (Portugal), Atlético Paranaense, América de Três Rios e Volta Redonda. Após encerrar a carreira, foi treinador do Fluminense, em 1994. Voltou a treinar o tricolor em 1998, na campanha da segunda divisão. Posteriormente, tornou-se político e, atualmente, é Deputado Federal pelo PSC.

 

ASSIS

Depois de rodar por vários times, foi para o Fluminense, em 1983, juntamente com Washington, para formar uma das duplas mais famosas do futebol brasileiro: o Casal-20. Assis fez um estrondoso sucesso no tricolor. Jogou 177 vezes e marcou 54 gols. Além dos títulos que ajudou a conquistar, colocou seu nome nos Cariocas de 1983 e 1984, ambos sobre o Flamengo, ao marcar os gols decisivos. Ficou no Fluminense até 1987. Ainda jogou no Atlético Paranaense, Pinheiros-PR, Paysandu, Atlético Paranaense e Paraná. Fez parte da comissão técnica do técnico Delei, na segunda divisão. É um fanático torcedor e está sempre nas Laranjeiras em todos os eventos importantes que envolvem o nome do Fluminense.

 

ROMERITO

O maior jogador paraguaio de todos os tempos, chegou ao Fluminense em 1984, vindo do estelar Cosmos. Entre 1984 e 1988, disputou 215 jogos, tendo marcado 57 gols. Tal qual Assis, Don Romero tornou-se torcedor do Fluminense. Inclusive, nesta semana, estive em Belo Horizonte para cobrir o jogo entre Atlético e Olímpia, pela final da Libertadores. Conversando com jornalistas paraguaios, perguntaram-me para qual time torcia e falei: Fluminense, do Romerito. Os jornalistas torceram o nariz e chamaram-no de traidor, porque no jogo entre Fluminense e Olímpia, pelas oitavas de final, o ídolo tricolor disse que estava torcendo pelo Fluminense e não para o Olímpia. O Fluminense foi o único clube brasileiro na sua carreira. Depois, jogou no Barcelona, Puebla (México), Sportivo Luqueño (Paraguai), Olimpia, Sportivo Luqueño, Deportes La Serena (Chile), Cerro Corá (Paraguai), Sportivo Luqueño, Resistencia (Paraguai) e Cerro Corá.

 

WASHINGTON

Formou com Assis o famoso Casal-20, com quem tinha entrosamento raro de se ver no futebol. Chegou ao Fluminense em 1983 e ficou até 1989. Em 301 jogos, marcou 118 gols. Depois, peregrinou por Guarani, Botafogo, União São João, Atlético Paranaense, Desportiva-ES, Santa Cruz, Felgueiras (Portugal), Santa Cruz, Galícia, Fortaleza e Foz do Iguaçu. Atualmente, sofre de Esclerose Lateral Amiotrófica.

 

TATO

Outro jogador que veio do Internacional. Jogou no Fluminense de 1982 a 1988. Depois, andou pelo Elche (Espanha), Vasco da Gama, Sport, Santos e Coritiba. Tato travava com Paulinho uma saudável disputa pela camisa 11.

 

PAULINHO

O ponta-esquerda foi revelado pelo próprio Fluminense. Em 1982, subiu para os profissionais. Em 1988, transferiu-se para o Corinthians. Depois, Palmeiras, Flamengo, Puebla (México), America-RJ, União da Madeira (Portugal), Volta Redonda e Rio Verde-GO. Em 1993, teve rápida passagem pelo Fluminense. Em 1983, foi campeão mundial pela Seleção de Juniores, onde, junto com Mauricinho, na época jogador do Comercial de Ribeirão Preto, fez muito sucesso com velocidade e festival de dribles nos marcadores.

 

GETÚLIO

Participou de vários jogos da campanha de 1984, até perder a posição de titular para Aldo. Antes do Fluminense, Getúlio foi muito importante no Atlético Mineiro e, principalmente, São Paulo, onde jogou por sete anos. Saiu do Fluminense em 1985 para o Hollywood Kickers-EUA.

 

 

LEOMIR

Chegou ao Fluminense em 1982, primeiramente, emprestado, depois, foi trocado em definitivo pelo ponta-direita Lela. Em 1988, transferiu-se para o Internacional. Ainda jogou no Famalicão (Portugal) e Santa Cruz. Em 2006, começou a carreira de auxiliar-técnico e, desde 2012, trabalha na comissão técnica de Abel.

 

 

RENÊ

Renê Weber, talvez, seja mais conhecido como técnico do que como jogador. Jogou no Fluminense de 1984 a 1992. Em 1993, foi para o América-RJ. A partir de 2002, passou a atuar como técnico. Atualmente, é auxiliar de Paulo Autuori e foi junto com técnico do Vasco da Gama para o São Paulo.

 

CARBONE

Jogador de prestígio, principalmente, para a torcida do Botafogo, Carbone teve longa carreira de técnico. São, aproximadamente, 36 times que treinou. Pelo Fluminense, teve três passagens (1983-1984, 1987, 1997-1998). A sua saída no meio do Campeonato Brasileiro de 1984 foi conturbada. Não havia razão técnica para a sua demissão, a campanha era excelente. No entanto, Carlos Alberto Parreira, técnico da Seleção, tinha um nome de maior peso.

 

Ainda participaram da campanha os seguintes jogadores: Wilsinho, Renato, Ricardo Lopes, Beto, Ronaldo, Paulinho Cascavel, Daíco, Carlos Eduardo, Édson e Rogério.

 

Fontes: Flumania, Wikipédia e Que Fim Levou (Milton Neves).

 

Mauro Jácome

Panorama Tricolor

@PanoramaTri

imagem: http://sozacaricaturas.blogspot.com.br/

http://www.editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro=1184&idProduto=1216

4 Comments

  1. Grandes nomes, grandes jogadores!
    Valeu, Mauro!
    Saudações Tetracampeãs!

  2. Ganhamos na SENA!

    Parabéns a todos da fodetoria do clube!

    “apesar de vc”…..

    Flüber alles!

Comments are closed.